fbpx

Conheça a análise RAM e entenda porque ela é a base da manutenção

A análise RAM é a base para a Engenharia de Manutenção e tem como base os dados de confiabilidade, disponibilidade e mantenabilidade. Com eles é possível prevenir a ocorrência de falhas nos equipamentos. Além disso, com a aplicação da análise RAM é possível impactar positivamente a lucratividade da empresa. Isso porque ela interfere nos gastos com o processo de produção e de manutenção. Dessa forma, podemos dizer que o objetivo final desse tipo de análise é aumentar a produtividade, diminuir os custos da operação e, consequentemente, aumentar a lucratividade. A análise RAM é a sigla em inglês para Reliability, Avaliability e Maintenability e que, em português, pode ser traduzida como: Confiabilidade, Disponibilidade e Mantenabilidade. Esse tripé serve de base para a elaboração dos projetos de manutenção.

Confiabilidade

Esse primeiro conceito da análise RAM pode ser entendido como a probabilidade de uma determinada máquina ou sistema ser capaz de realizar suas atividades, nas condições que a empresa necessita, durante um determinado período de tempo. Assim, a confiabilidade indica por quanto tempo determinado equipamento deverá ser capaz de funcionar, trabalhando na capacidade exigida pelo processo de produção. Para entendermos os níveis de confiabilidade dos equipamentos, é necessária a ajuda de algumas ferramentas. São elas:
  • FMEA (Failure Modes and Effects Analisys): Análise dos Modos e Efeitos de Falha. Aqui o objetivo é mapear as possíveis falhas que possam vir a acontecer, quais seriam as causas e as consequências dessa falha no processo produtivo;
  • Árvore de Falhas: Essa ferramenta se baseia em uma determinada falha e tenta descobrir suas causas básicas, para isso refaz toda a cadeia de eventos que levaram ao acontecimento. É feito um tipo de reconstituição de traz para frente, ou seja, começa com o resultado final e faz o caminho inverso até chegar às causas de cada evento.
  • Diagrama de Blocos de Confiabilidade (RBD): É um complemento da árvore de falhas. Esse diagrama mostra a sequência de fatos que levaram a determinado acontecimento. Sendo assim, começa pelas possíveis causas e vai até a falha.

Disponibilidade

A disponibilidade na análise RAM é uma métrica que se refere à quantidade de tempo em que um equipamento esteve disponível para realizar suas funções durante determinado período. Para calcular a disponibilidade, é preciso conhecer dois indicadores: o MTBF (Tempo Médio Entre Falhas) e o MTTR (Tempo Médio de Reparo). O primeiro indica a média de tempo entre as ocorrências de falhas de determinados equipamentos. Enquanto que o segundo, se refere a média da quantidade de tempo gasto para reparar determinados equipamentos. Sendo assim, a formula é MTBF/(MTBF+MTTR) x 100 = % de disponibilidade.

Mantenabilidade

Esse índice da análise RAM indica a capacidade de cada equipamento de ser mantido ou colocado, após o reparo, nas condições de funcionamento exigidas pelo processo produtivo. De uma maneira mais simples, essa métrica pode ser definida como a facilidade que a equipe de manutenção encontra ao realizar as suas atividades. Quanto maior for a dificuldade, menor será o nível de mantenabilidade. Alguns pontos devem ser levados em consideração no memento de calcular a mantenabilidade. São eles:
  • Condições de acesso da equipe aos pontos de inspeção e reparo;
  • Necessidade de movimentar equipamentos, seja lateralmente ou içando;
  • Conforto ergonômico durante os processos de reparo e inspeção;
  • Layout da distribuição dos equipamentos;
  • Obstruções que uma falha pode causar no processo como um todo.
Gostou deste artigo? Então continue a ler mais sobre: Como evitar a falta de previsibilidade da manutenção